sexta-feira, 19 de agosto de 2011

FC Porto 3 x Gil Vicente 1 - Liga ZON Sagres - 2011/2012 - Jornada 2 - Earth calling FC Porto... Earth calling FC Porto


O jogo de hoje não foi bom. Foi, aliás, fraquinho. Eu diria mesmo, que pareceu um jogo de pré-época em que os jogadores ainda se estão a conhecer.


Jogamos muito desligados a meio-campo e com uma defesa a trocar a bola entre si em passes curtos que só não deu mais dissabores porque pronto, não calhou...

Na frente, Kléber parecia inofensivo e Varela demasiado trapalhão. A combinação entre Fucile e Silvestre raramente acontecia, e quando acontecia, terminava num passe sem nexo, ora com muita força, ora muito torto, enfim.

Já a ala direita parecia funcionar melhor, tirando a ausência momentânea de sinais vitais de Sapunaru, e Hulk a impôr respeito lá na frente. Infelizmente, a bola não passou tantas vezes por ali como deveria.

Começamos o jogo praticamente a perder, com o penalti a favor do Gil Vicente, que do sítio onde me encontrava não dava para ter certezas se realmente houve falta. Depois disso, a atitude do costume do adversário: começar a perder tempo. Tempo esse, que mais tarde viriam a tentar recuperar, assim que Hulk na conversão de uma grande penalidade igualou a partida e aproximadamente 10 minutos depois Sapunaru se redime e marca o golo que sela a viragem do marcador a nosso favor. Também na grande penalidade do Hulk fico sem certezas, é o mal de se estar no Estádio, não temos o verificador automático...

Uma vez a ganhar, a equipa não se acomodou, mas também não soube jogar e não consegui relaxar um minuto neste jogo pois a qualquer altura lá havia uma precipitação que deixava a defesa a descoberto ou um passe em excesso de confiança que era interceptado.

Estamos em início de época, mas isso não explica tudo. É preciso mais trabalho.

Adiante, o próximo será melhor.

3 comentários:

  1. O que vale é que continuam com estrelinha* de campeão...

    *estrelinha
    s.f. Peça pirotécnica de salão. / Massa alimentícia em forma de estrela. / Art. gráf. Asterisco. / Zoologia Ave passeriforme da família dos parídeos / apanhar árbitros amigos nas primeiras jornadas que marcam penalties que mais ninguém vê e que nos poupam expulsões logo no início

    ResponderEliminar
  2. Eh pah acho que és o primeiro benfiquista a escrever no meu blogue. Benvindo! Quanto à expulsão, não sei se é ou não, vou aguardar e ver as doutas opiniões.

    ResponderEliminar
  3. Bom dia,

    Estávamos avisados para a qualidade do onze de Barcelos, nomeadamente Hugo Vieira, mas Sapuranu completamente a "dormir", com um perda de bola infantil permite que o gilista se isole, obrigando Otamendi a cometer falta para grande penalidade, que lhe poderia também ter custado a expulsão. O Gil Vicente chegou assim à vantagem logo aos 3 minutos.

    Os cerca de 44 mil no Dragão, após a conversão da grande penalidade, em constante apoio, empurraram uma equipa nervosa, trapalhona, e incapaz de criar oportunidades de golo, para a reviravolta no marcador ainda na primeira parte.

    Primeiro de penálti, a punir uma falta sobre Hulk e depois de canto, com o incrível a colocar com conta peso e medida a bola na cabeça de Sapunaru que não perdoou.

    Após a reviravolta no marcador, pensei que o FC Porto fosse acordar para o jogo, mas não, continuavam os disparates, o nervosismo, e o Gil Vicente criou pelo menos duas oportunidades para levar o jogo empatado para o intervalo.

    Na segunda parte, foi mais do mesmo, e só Hulk tranquilizou as bancadas ao fuzilar de livre a baliza gilista.

    Até ao apito final, foi um jogo entediante, que só Djalma e Belluschi sacudiram.

    Quanto à performance dos jogadores, os mais lúcidos foram claramente Helton, que tentava motivar os 4 da sua frente, e Hulk o melhor em campo. Nota de realce também para Otamendi.


    Resumindo, após a semana conturbada com as saídas de Falcao e Ruben, e do alegado interesse em Moutinho e Alvaro, a equipa ressentiu-se, entrando nervosa e trapalhona.
    Valeu Hulk que em plena época de caça "matou" o galo com aquele balázio de livre que tranquilizou as bancadas e companheiros de equipa.

    Nota de realce para o muito público que marcou presença no Dragão, e que após o penalti foi importante no empurrar da equipa para a reviravolta, embora fossem escusados os assobios a Varela.


    Temos de melhorar em termos mentais, e para tal é necessário que o mais rapidamente possível esteja definido o plantel 2011/2012.

    Na próxima sexta-feira diante do Barcelona, não podemos ter a atitude de ontem sob pena de sermos cilindrados

    Boa semana
    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.com

    ResponderEliminar